Sobre a Bio

Nossa história

Somos uma empresa social de comércio justo, que tem como principal objetivo apoiar pequenos grupos de artesãos brasileiros no acesso aos mercados. Nosso compromisso é com o desenvolvimento sustentável destes grupos de artesãos e das comunidades nas quais eles estão inseridos. Por meio das negociações junto a clientes nacionais e internacionais, a Bio Fair Trade estabelece parcerias de longo prazo entre produtores e compradores, dentro dos princípios do Comércio Justo. Desde 2007, trabalhamos para que milhares de pessoas em todo o Brasil tenham oportunidade de ter uma vida mais digna por meio do seu trabalho, desempenhando um importante papel de cidadania social.

Missão

Nossa Missão é promover a inserção de produtos de pequenos grupos de artesãos nos mercados, dentro dos princípios do Comércio Justo, apoiando o desenvolvimento de sua produção e gerando negócios sustentáveis que contribuam significativamente para a melhoria de qualidade de vida dos produtores e de suas famílias.

Visão

Nossa Visão para cinco anos é ser referência na transformação de vidas das comunidades em que atuamos, por meio das práticas do comércio justo e ser a maior comercializadora de produtos artesanais de comércio justo do Brasil beneficiando diretamente mais de 3.000 artesãos e suas famílias.

Valor

Nossos Valores são pautados pelos fundamentos cristãos do amor, solidariedade e da comunhão; Sustentabilidade ambiental com desenvolvimento social e econômico; Transparência; Ética; Compromisso com Resultados; Valorização das Pessoas; Trabalho em equipe; Parcerias e relacionamentos de Longo Prazo e Excelência nos Serviços Prestados.

A Organização Mundial de Comércio Justo (WFTO) foi criada em 1989 e é uma associação global presente em mais de 70 países. Consiste em uma rede de produtores, comerciantes, exportadores, importadores, atacadistas e varejistas que são comprometidos com os princípios do Comércio Justo.

Comércio Justo

O Comércio Justo (Fair Trade, em inglês), é um movimento internacional que surgiu em meados do século XX, nos Estados Unidos e Europa, e é definido pela Organização Mundial de Comércio Justo (WFTO) como uma “parceria comercial, baseada em diálogo, transparência e respeito, que busca maior equidade no comércio internacional. Ele contribui para o desenvolvimento sustentável por meio de melhores condições de troca e a garantia dos direitos para produtores e trabalhadores marginalizados, principalmente do hemisfério sul”.

Para entender melhor como funciona, é indispensável conhecer os 10 princípios nos quais se baseia:

10 PRINCÍPIOS DO COMÉRCIO JUSTO

O Comércio Justo busca melhorar as condições de vida do produtor a partir da comercialização de seus produtos. Assim, compradores não estão preocupados apenas com o produto, mas também com o produtor e buscam formas de apoiá-lo no seu desenvolvimento, fazendo com que ele possa ter uma renda constante.

Tanto o fornecedor quanto o comprador são transparentes na maneira como fazem negócios. Organizações de comércio justo devem encontrar formas de envolver os funcionários e os produtores no seu processo decisório.

Os negócios da organização deverão conceber o bem-estar social, econômico e ambiental dos pequenos produtores marginalizados e não maximizar os lucros à sua custa. Os fornecedores devem respeitar os contratos e entregar os produtos no prazo e com a qualidade e especificações desejadas.

Um preço justo deve ser mutuamente acordado por todos os envolvidos na comercialização, garantindo uma remuneração justa e compatível com o esforço de produção.

Nenhum trabalho forçado é permitido na produção. Qualquer envolvimento de crianças na produção nunca deve prejudicar o bem-estar das mesmas, sua segurança, frequência escolar e sua necessidade de brincar.

A prática do Comércio Justo deve promover a igualdade de direitos entre homens e mulheres, valorizando e inserindo a mulher no mercado de trabalho. Além disso, promover a não-discriminação baseada em raça, religião, posição política, classe, naturalidade, orientação sexual, estado civil e/ou portadores de necessidades especiais.

A organização deve fornecer um ambiente de trabalho seguro e saudável para os trabalhadores e/ou seus membros.

As organizações que trabalham diretamente com pequenos produtores devem desenvolver atividades específicas para auxiliá-los a melhorar suas habilidades de gerenciamento, capacidade de produção e acesso aos mercados.

As organizações devem promover a conscientização dos objetivos do Movimento de Comércio Justo e da necessidade de uma maior justiça no comércio mundial por meio dessa prática.

As organizações devem maximizar o uso de matérias-primas provenientes de fontes geridas de forma sustentável em suas escalas e comprar localmente, quando possível.



Informações

Rua Quarenta e Oito, 76 - Loja 02 - Espinheiro - Recife-PE - CEP: 52.020-060

Bio Fair Trade 2017