Email
Senha




Acesse nosso catálogo
 
Newsletters
      
      
      
 
Comércio Justo

COMÉRCIO JUSTO

O comércio justo surgiu em meados do século XX, nos Estados Unidos, e é definido pela WFTO – World Fair Trade Organization (Organização Mundial de Comércio Justo) como uma “parceria comercial, baseada em diálogo, transparência e respeito, que busca maior equidade no comércio internacional. Ele contribui para o desenvolvimento sustentável por meio de melhores condições de troca e a garantia dos direitos para produtores e trabalhadores marginalizados – principalmente do sul”.

Destaca-se nesse conceito a preocupação com a sustentabilidade com foco nos países do hemisfério sul, onde se observam os piores índices de pobreza, desigualdade e qualidade de vida. De acordo com a WFTO, o comércio justo é baseado em um conjunto de normas e princípios, que devem ser seguidos pelas organizações e pelos produtores em suas atividades regulares.


Criar oportunidades para produtores economicamente desfavorecidos

O comércio justo foca os produtores que se encontram em países em desenvolvimento. Embora o Brasil já tenha avançado bastante no que se refere aos indicadores de desenvolvimento econômico, ainda possui um dos piores índices de desigualdades de renda medidos pelo índice de GINI (PNAD-IBGE), principalmente nas regiões Norte e Nordeste. O índice GINI do Brasil em 2007 foi de 0,528 que, apesar de representar um avanço conforme o gráfico de 1997/2007 (PNAD-IBGE), ainda é um dos piores do mundo.

O comércio justo pretende reduzir a pobreza através do comércio. Desta forma, compradores de Comércio Justo não estão apenas preocupados com o produto, mas também com o produtor e buscam formas em que possam apoiá-lo no seu desenvolvimento de maneira sustentável, fazendo com que ele possa ter uma renda constante e justa pelo seu trabalho e desta forma sair de sua condição de pobreza e dependência.




Transparência e Responsabilidade

O comércio justo é uma parceria comercial baseada no diálogo, transparência e respeito. Tanto o fornecedor quanto o comprador são transparentes na maneira como fazem negócios. Organizações de comércio justo devem encontrar formas de envolver os funcionários e os produtores no seu processo decisório. A transparência é, por exemplo, mostrada nos cálculos de preços de custo que estão disponíveis tanto para o fornecedor quanto para o comprador. No comércio justo, é possível mostrar o preço de custo de toda a cadeia produtiva a partir de matérias-primas de fornecedores no país de origem até a venda do produto ao consumidor na loja de comércio justo.


Práticas de Negociação

O comércio justo é uma parceria comercial baseada no diálogo, transparência e respeito. Tanto o fornecedor quanto o comprador são transparentes na maneira como fazem negócios. Organizações de comércio justo devem encontrar formas de envolver os funcionários e os produtores no seu processo decisório. A transparência é, por exemplo, mostrada nos cálculos de preços de custo que estão disponíveis tanto para o fornecedor quanto para o comprador. No comércio justo, é possível mostrar o preço de custo de toda a cadeia produtiva a partir de matérias-primas de fornecedores no país de origem até a venda do produto ao consumidor na loja de comércio justo.


Preço Justo

Um preço justo é aquele que tem sido mutuamente acordado por todos através do diálogo e participação, que prevê pagamento justo aos produtores e também pode ser sustentado pelo mercado (WFTO). Deve-se garantir uma remuneração justa e compatível com o esforço de produção de cada produto comercializado nos princípios de comercio justo. Além disso, o preço justo leva em conta o princípio de salário igual para trabalho igual realizado por homens e mulheres e leva em conta fatores locais que devem ser relevantes no preço, como os diferentes custos de vida entre as cidades.


Sobre o Trabalho Infantil e o Trabalho Forçado

Nenhum trabalho forçado é permitido na produção e o produtor deve estar em conformidade com a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança. Qualquer envolvimento de crianças na produção de produtos do Comércio Justo, incluindo a aprendizagem do ofício da arte tradicional é cuidadosamente acompanhado e nunca deve prejudicar o bem-estar das mesmas, sua segurança, frequência escolar e sua necessidade de brincar.


Não Discriminação, Igualdade de Gênero e a Liberdade de Associação

A não discriminação com base em raça, casta, origem nacional, religião, deficiência, gênero, orientação sexual, filiação sindical, filiação política, idade ou por possuir HIV / Aids, tanto na contratação, no acesso à formação e na promoção, quanto na demissão ou aposentadoria. Para homens e mulheres, a organização de comércio justo oferece oportunidades para desenvolver suas habilidades e estimula a contratação de mulheres para as vagas de emprego e para posições de liderança na organização. As mulheres participam plenamente no processo de tomada de decisão e é possível que venham a formar e aderir a sindicatos. Tanto homens como mulheres recebem valores iguais à sua contribuição no processo de produção.


Condições de Trabalho

A organização de comércio justo leva em conta a saúde e a segurança, o que promove a criação de um ambiente de trabalho seguro e saudável. Organizações de comércio justo procuram sensibilizar os produtores para questões de saúde e segurança e tentam apoiá-los na melhoria das condições de produção que reflitam positivamente nestes aspectos.


Capacitação

A organização desenvolve as habilidades e capacidades dos seus próprios empregados ou sócios. Organizações que trabalham diretamente com pequenos produtores desenvolvem atividades específicas para ajudar os produtores a melhorar suas habilidades de gestão, capacidade de produção e acesso aos mercados. Organizações de comércio justo também ajudam a desenvolver a habilidade dos produtores e melhoria da qualidade de seus produtos, tornando-os mais competitivos, com informações sobre tendências de mercado e design.


Meio Ambiente

A produção do comércio justo leva em conta o seu ambiente. Eles usam as tecnologias de produção que visam a reduzir o consumo de energia e, quando possível, utilização de tecnologias de energias renováveis, que minimizem as emissões de gases com efeito estufa. Eles procuram minimizar o impacto de seu fluxo de resíduos no meio ambiente, além de utilizarem o manejo correto na extração de matéria prima, garantindo e promovendo a sustentabilidade ambiental.


Promoção do Comércio Justo

A organização de comércio justo aumenta a consciência coletiva da necessidade de uma maior justiça no comércio mundial através desta prática. A organização oferece aos seus clientes as informações sobre si, sobre os produtos que comercializa e sobre as organizações de produtores ou dos membros que compõem os grupos produtivos.


 

Rua Quarenta e Oito, 76 - Loja 02 - Espinheiro - Recife-PE - CEP: 52.020-060 - Fone: 81 3037-3755 • contato@biofairtrade.com.br